HORÁRIO DE ATENDIMENTO
Segunda a sexta: das 8h às 18h
Sábado, das 8h às 12h

Dificuldade de compreensão de sons

Como saber se a criança tem dificuldade de compreensão de sons?

Você sabe identificar se uma criança apresenta dificuldade de compreensão de sons? É importante que pais, mães, responsáveis e educadores estejam atentos a isso. 

Esse problema pode se manifestar como agitação em locais barulhentos, desatenção e distração frequente ou mesmo disse culdade na alfabetização e troca de letras.  

Esses sinais podem indicar um Distúrbio do Processamento Auditivo Central (DPAC), uma alteração no processamento do som. 

Primeiramente, processamento auditivo nada mais é do que a capacidade do cérebro em utilizar a informação recebida pelos ouvidos. 

Então, o DPAC é um problema de interpretação do som. Nesses casos, apesar do sistema auditivo estar íntegro, o cérebro não consegue processar as informações recebidas. 

O distúrbio afeta as áreas do cérebro responsáveis por um conjunto de processos que vão da detecção à interpretação das informações sonoras. 


Consequentemente, a pessoa ouve claramente a fala humana, mas tem dificuldades em interpretar a mensagem recebida.


Causas do DPAC

Existem diversas possíveis causas para o surgimento do deste distúrbio: 

  • genética;
  • otites de repetição;
  • lesões cerebrais, como traumatismo craniano, tumor cerebral ou meningite;
  • distúrbios neurológicos;
  • exposição a neurotoxinas, como envenenamento por chumbo;
  • problemas durante a gestação ou no momento do parto;
  • nascimento prematuro;
  • entre outras.

Devido às mudanças que esse distúrbio promove no comportamento das crianças, por vezes ele pode ser confundido com TDAH. Por isso, esta alteração envolve muitos profissionais para o diagnóstico.  

Vale ressaltar que estamos falando de crianças, mas esse distúrbio pode também aparecer em adultos, principalmente idosos. 


Existe tratamento?

A boa notícia é que existe um tratamento, uma terapia específica, por meio da qual é possível tratar e reverter este quadro. 

Primeiramente, é possível realizar um treinamento auditivo, além do estímulo às habilidades da audição por meio de estratégias auditivas, bem como da fala, da escrita e da memória.

Dependendo do caso, a utilização de aparelhos auditivos pode ser recomendada, para complementar o tratamento e otimizar os resultados, ampliando a capacidade de a pessoa ouvir. 

No caso das crianças, a escola também precisa ser uma parceira do tratamento, de forma que seja uma facilitadora, entendendo as necessidades da criança e viabilizando a aprendizagem. 

Para quem convive com alguém que tem DPAC, algumas dicas: 

  • falar frases curtas e simples;
  • falar de maneira pausada;
  • reduzir os ruídos no ambiente para os estudos.

É fundamental que a pessoa com esse distúrbio ou qualquer outra dificuldade de audição seja acompanhada por uma equipe profissional e especializada. Nós da Clínica ORL podemos ajudar!